Tudo sobre peixes

Existem muitas famílias que preparam peixe para a ceia de Natal. Esse ano eu irei fazer Tainha recheada com farofa de camarão (postarei a receita em breve)

Sem dúvida a carne que mais gosto é a de peixe. Assado, cozido, salteado, cru, adoro peixes em várias receitas. Aqui em casa eles estão na mesa pelo menos duas vezes na semana.

foto 5 (640x480)

 

 

A carne do peixe é fácil de desfiar o que facilita muita a oferta para bebês desde os 6 meses. Basta incluir na papinha de legumes ou oferecer na refeiçãozinha. Depois de 12 meses eles podem ser oferecidos como nuggets, filé empanado e assado ou até como hambúrguer.

São inúmeras as vantagens de consumir peixes regularmente. Por serem ricos em aminoácidos essenciais (substâncias não produzidas pelo nosso organismo), os peixes possuem proteínas com valor nutritivo ligeiramente superior às das carnes vermelhas (como as de boi e porco).

Ricos em Ômega-3 a ingestão regular de peixes contribui para diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (derrame), redução da pressão arterial, ação anti-inflamatória, diminuição das taxas de triglicérides e colesterol total no sangue.

A porcentagem de lipídeos (gorduras) da maioria dos peixes encontra-se entre 0,2 a 23,7%. Essa quantidade varia de acordo com a espécie, sexo, idade, tipo de alimentação, estação do ano (verão ou inverno) entre outros fatores.

Eles apresentam boas concentrações de vitaminas lipossolúveis (solúveis em gorduras), como A, E e, principalmente, D. Também são ricos em vitaminas hidrossolúveis (solúveis em água) como niacina – presente nas reações químicas de liberação de energia em nosso corpo – e ácido pantatênico – essencial no metabolismo de proteínas, carboidratos e gorduras.

Além disso, os peixes contêm vários minerais importantes como, sódio, potássio, magnésio, cálcio, ferro, fósforo, iodo, flúor, selênio, manganês e cobalto.

Mas antes de oferecer peixes para nossos pequenos precisamos levar em consideração algumas informações importantes, pois existem peixes mais saudáveis que outros.

Aqui vão algumas dicas:

Dê preferência aos peixes de mar e de escamas: Robalo, Badejo, Sardinha, Namorado, Pescada. Evite os peixes de couro como Atum e Cação, pois eles são mais suscetíveis à contaminação por mercúrio. Além disso, os peixes de água salgada possuem em média o dobro de ômega-3 se comprados aos de água doce.

Evite os peixes de Rio (Tilapia, San Peter, Salmão, Truta). Eles são criados em cativeiro e são alimentados com rações que possuem hormônios, e infelizmente eles vão parar na carne dos peixes, e na barriga dos nossos bebês.

 

Outro ponto importante é onde comprá-los. Ideal é procurar uma peixaria no seu bairro ou num Sacolão. Esses profissionais não só comercializam como conhecem os fornecedores e tudo sobre peixes. Na hora de escolher preste sempre atenção aos olhos, que devem estar bem brilhantes (parecendo vivo). É comum que os olhos estejam vermelhos em função da imersão no gelo, desde que eles ainda estejam brilhantes tudo bem. Segue um exemplo de um peixe ruim e um bom

Nunca compre o peixe com o olho assim. Esse já era!

Nunca compre o peixe com o olho assim. Esse já era!

Esse está vermelho mas está vivo.

Esse está vermelho mas está vivo.

As guelras bem vermelhas e o corpo deve estar preservado (como vivo). Esses são sinais de frescor. Caso você compre filés na bandeja, peça para toca-las e verifique se não estão firmes. O filé não pode estar esfarelando.

As guelras tem que estar bem veremelhas

As guelras tem que estar bem veremelhas

Pronto, agora basta passar na peixaria e comprar um bom peixe para seu bebê e sua família. Não perca as receitas com peixe aqui no blog, no Intagram @primeirascolheradas e FaceBook Primeiras Colheradas.

Tammy Achkar

Deixe um comentário